Domingo, 16 de junho de 2024

França vai proibir embalagens de plástico para frutas e vegetais já a partir do ano que vem

A França proibirá embalagens plásticas para quase todas as frutas e vegetais a partir de janeiro de 2022. A medida, anunciada pelo Ministério do Meio Ambiente francês nesta segunda-feira (11), faz parte de um programa plurianual do governo para reduzir o lixo plástico.

Implementando uma lei de fevereiro de 2020, o governo publicou uma lista de cerca de 30 frutas e vegetais que deverão ser vendidos sem embalagem de plástico a partir de 1º de janeiro. A lista inclui alho-poró, berinjela e tomate redondo, bem como maçãs, bananas e laranjas.

“Usamos uma quantidade absurda de plástico descartável diariamente. A lei da economia circular visa reduzir o uso desse plástico e aumentar sua substituição por outros materiais ou embalagens reutilizáveis e recicláveis”, disse o ministério em um comunicado.

A estimativa é de que 37% das frutas e verduras sejam vendidas com embalagens. Com isso, há expectativa de que a medida impeça o uso de um bilhão de embalagens plásticas por ano.

A presidente da federação francesa de vendedores de frutas, François Roch, por outro lado, disse que “mudar para o papelão em tão pouco tempo será difícil”.

“Além disso, vender produtos soltos é complicado porque muitos clientes tocam nas frutas e as pessoas não querem que os alimentos sejam tocados pelos outros”, disse.

Como parte do programa governamental plurianual para eliminar o plástico, neste ano a França proibiu canudos, copos e talheres de plástico, além de caixas de isopor que eram utilizadas para que os clientes levassem a comida para viagem.

Frutas cortadas e um número limitado de frutas e vegetais delicados ainda podem ser vendidos com embalagens de plástico por enquanto, mas isso será descontinuado no final de junho de 2026.

As embalagens de plástico serão proibidas até o final de junho de 2023 para tomates cereja, feijão verde e pêssegos, e até o final de 2024 para endívias, aspargos, cerejas, cogumelos, algumas saladas e ervas.

No final de junho de 2026, framboesas, morangos e outras frutas delicadas também devem ser vendidas sem plástico.

A partir de 2022, os espaços públicos devem fornecer bebedouros para reduzir o uso de garrafas plásticas. Além disso, as publicações de imprensa e publicidade devem ser enviadas sem embalagem de plástico, enquanto os restaurantes de fast-food não podem mais oferecer brinquedos de plástico gratuitos.

A partir de janeiro de 2023, a França também proibirá louças descartáveis em restaurantes de fast-food para refeições consumidas no local.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Mais de 99 milhões de brasileiros estão com a imunização contra a covid completa
Morre aos 90 anos o gaúcho Luiz Macedo, um dos maiores nomes da história da propaganda no Brasil
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play