Terça-feira, 18 de junho de 2024

Gases de efeito estufa atingem novo recorde, destaca relatório da Organização Meteorológica Mundial

De acordo com um novo estudo da Organização Meteorológica Mundial (OMM), divulgado nesta quarta-feira (15), as concentrações atmosféricas de gases do efeito estufa responsáveis pelo aquecimento global causado pelo homem, atingiram níveis sem precedentes no último ano.

Segundo a agência da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2022, as concentrações médias globais de dióxido de carbono (CO2), o gás de efeito estufa mais abundante no planeta, ultrapassaram em mais de 50% os níveis da era pré-industrial (definida pelo ano de 1750), alcançando o pico de 417,9 ppm (partes por milhão – o número de moléculas do gás a cada milhão de moléculas de ar). Assim, o aumento do CO2 na atmosfera em relação a 2021, recorde anterior, foi de 0,5%.

O metano (CH4) também viu um aumento em suas concentrações (264% em relação a 1750, ou 1.923 ppb). O óxido nitroso (N2O), o terceiro gás mais abundante, registrou o maior aumento anual entre 2021 e 2022: 0,42% (124% em relação a 1750, ou 335 ppb).

Conforme a OMM, a multiplicação de fenômenos meteorológicos extremos (como a onda de calor atípica que atinge boa parte do Brasil nesta semana) e a subida do nível do mar são alguns dos efeitos das alterações climáticas provocada pelo aumento desses gases.

“A despeito de décadas de advertências científicas, relatórios extensos e dezenas de conferências sobre o clima, continuamos seguindo na direção errada”, declarou o Secretário Geral da OMM, Petteri Taalas.

No relatório, a OMM ainda destaca que enquanto menos da metade das emissões de CO2 permanece na atmosfera, o oceano absorve um pouco mais de um quarto dessas emissões, e os ecossistemas terrestres, como florestas, cerca de 30%.

“Com as atuais concentrações de gases de efeito estufa, estamos trilhando um caminho de aumento nas temperaturas que nos levará a valores muito acima das metas estabelecidas no Acordo de Paris”, acrescentou o chefe da agência.

Por isso, se o nível de dióxido de carbono continuar a aumentar como está, a OMM alerta que a temperatura do planeta continuará a subir, mesmo que as emissões sejam reduzidas rapidamente, devido à persistência prolongada do CO2 na atmosfera.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

ONU alerta que 70% da Faixa de Gaza não terá acesso a água potável até fim do dia
Presidentes dos Estados Unidos e China se encontram após crises diplomáticas entre os dois países
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play