Quarta-feira, 22 de maio de 2024

Governo gaúcho reúne empresários para construir nova agenda de desenvolvimento para o estado

A primeira reunião de trabalho de construção da nova agenda de desenvolvimento do Rio Grande do Sul foi realizada nesta quarta-feira (10). Organizado pelo governo, o encontro no Palácio Piratini, em Porto Alegre, teve a participação de empresários e presidentes de entidades de classe. Durante a tarde, houve a apresentação do pré-diagnóstico sobre competitividade do estado, o detalhamento das técnicas de construção do futuro plano de desenvolvimento e a coleta de ideias para a elaboração do Plano Estadual de Desenvolvimento Econômico, Inovador e Sustentável.

Depois de falar na abertura, o governador Eduardo Leite acompanhou as mesas-redondas no Salão Alberto Pasqualini, juntamente com o secretário-chefe da Casa Civil, Artur Lemos, e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ernani Polo. Deputados estaduais também participaram das discussões.

“A colaboração da classe empresarial será fundamental. Vamos elaborar iniciativas estratégicas baseadas em tendências globais para um plano de futuro que eleve o estado a outro patamar. O Rio Grande do Sul é vocacionado para o empreendedorismo e queremos desenvolver ainda mais esse potencial, puxando juntos na mesma direção pelo desenvolvimento econômico dentro de uma sociedade mais inclusiva, justa e com oportunidades”, afirmou Leite.

A reunião foi conduzida pela McKinsey, empresa de consultoria internacional contratada pelo Estado para apoiar o projeto. O objetivo é promover o alinhamento estratégico entre os diferentes integrantes que compõem o Sistema de Desenvolvimento Econômico, Inovador e Sustentável, identificando investimentos e esforços que devem ser priorizados pelo Executivo estadual nos próximos anos.

Esse ecossistema é orientado pelo Plano de Desenvolvimento e envolve governo, empresas e entidades, sociedade e universidades, além do Conselho de Competitividade e Futuro e a Agência de Desenvolvimento do RS, instituídos no fim de 2023.

“Esta gestão, ainda no primeiro mandato, realizou as mais profundas reformas administrativas já feitas, tornando a máquina pública menos onerosa, o que tende a tornar o estado mais atrativo para novos investimentos. As discussões realizadas aqui nesta tarde e a Agência de Desenvolvimento farão o Rio Grande do Sul ganhar agilidade na vinda de novos negócios que resultarão em benefícios para a sociedade”, disse Artur Lemos.

Dinâmica de grupos

Nas mesas-redondas do encontro, foi realizada uma dinâmica de ideação com quase 120 participantes, a fim de discutir seis macrotendências – selecionadas pela Mckinsey – que poderão impactar a economia do estado nos próximos anos:

  • Reconfiguração de cadeias produtivas
  • Biorrevolução
  • Mudanças climáticas
  • Digitalização e inteligência artificial
  • Automação física avançada
  • Envelhecimento populacional

O governador acompanhou as mesas-redondas no Salão Alberto Pasqualini. Foto: Maurício Tonetto/Secom

“Estamos fazendo um trabalho detalhado e minucioso para formatar um plano de desenvolvimento que não só destaque as potencialidades do nosso estado, mas também revele pontos que possam ser trabalhados na busca por novos investimentos e oportunidades. Este é um esforço conjunto, que envolve não só as esferas do governo estadual, mas representantes do empresariado e de entidades, além de especialistas. Isso garante que estamos cobrindo todas as áreas de conhecimento, não só o econômico, e aprofundando nas questões que assegurarão um futuro promissor para o nosso Rio Grande”, disse Ernani Polo.

Os presentes foram convidados a fazerem sugestões individuais. Na sequência, houve divisão em grupos de 10 a 15 pessoas. Após uma apresentação conceitual, eles propuseram iniciativas concretas, respondendo a perguntas orientadoras. Depois, alguns grupos foram sorteados para compartilhar os principais insights. Eles debateram, por exemplo, como governo e iniciativa privada podem trabalhar juntos para que o estado se insira nessas tendências globais.

Todo o processo de construção do plano contou com o auxílio e acompanhamento da Mckinsey. A consultora está operando junto com equipes técnicas do governo em uma base instalada no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff). A empresa treinará a equipe que operará a Agência de Desenvolvimento, oferecendo mentoria e capacitação.

“Esta é uma agenda de estado e não de governo. Não é algo limitado à atual gestão. Os impactos deste plano serão de médio a longo prazo. O crescimento econômico é um dos pilares, mas olharemos também para eixos sociais”, destacou Mariela Portz, secretária-executiva do Conselho de Competitividade e Futuro, que será o curador do plano.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Vendas do comércio brasileiro aumentam pelo segundo mês seguido e atingem o maior patamar da série histórica
Entidades empresariais solicitam apoio da Assembleia gaúcha na luta contra o aumento de impostos
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play