Terça-feira, 18 de junho de 2024

Maior opositor de Vladimir Putin reaparece em prisão no Ártico após duas semanas desaparecido

Crítico do governo de Vladimir Putin na Rússia, Alexei Navalny foi localizado em uma colônia penal na Sibéria. As informações foram confirmadas pela sua equipe, duas semanas depois de terem perdido contato com ele. Ele falou com o seu advogado de dentro da prisão de Yamal-Nenets, na região ártica da Rússia, a cerca de 1.900 quilômetros de distância de Moscou.

“Encontramos Alexei”, escreveu sua porta-voz, Kira Yarmysh, em comunicado no X, antigo Twitter. “Ele está agora no IK-3, no assentamento de Kharp, no Distrito Autônomo de Yamal-Nenets.”

Yarmysh disse que o advogado de Navalny o visitou na segunda-feira (25) e que o ativista preso estava “bem”.

“Alexei é o principal rival de Putin, embora o seu nome não esteja nas urnas”, disse Yarmysh à Associated Press na última semana. “Eles farão tudo o que puderem para isolá-lo.”

Navalny está preso desde janeiro de 2021, quando regressou a Moscou depois de se recuperar na Alemanha de um envenenamento que ele atribuiu ao Kremlin. Antes de ser preso, ele fez campanha contra a corrupção oficial e organizou grandes protestos anti-Kremlin.

Ele foi condenado a 19 anos de prisão em agosto, depois de ser considerado culpado por criar uma comunidade extremista, financiar atividades extremistas e vários outros crimes.

Os apoiadores de Navalny afirmam que a sua detenção e encarceramento são uma tentativa política de reprimir as suas críticas ao presidente russo Vladimir Putin.

Os advogados de Navalny disseram em 11 de dezembro que perderam contato com ele. Até então, ele estava preso em uma colônia penal a cerca de 240 quilômetros a Leste de Moscou.

Navalny “nunca ficou escondido por tanto tempo”, disse sua equipe depois que ele se ausentou de duas audiências agendadas na semana passada. Eles alertaram que Navalny estava com a saúde debilitada antes de seu desaparecimento, por ser “privado de comida” e “mantido em uma cela sem ventilação”.

O seu desaparecimento, ocorrido poucos dias depois de Putin ter anunciado que concorreria à reeleição em março de 2024, suscitou preocupações quanto ao seu bem-estar e segurança.

Ivan Zhdanov, diretor da fundação anticorrupção de Navalny, disse que a colônia penal IK-3 em Kharp, onde Navalny está agora detido, conhecida como “Lobo Polar”, é “uma das colônias mais setentrionais e mais remotas”.

“As condições lá são duras, com regime especial. É muito difícil chegar lá e não há sistemas de entrega de cartas”, escreveu Zhdanov no X.

Ele disse que o advogado de Navalny não foi autorizado a entrar na colônia penal “imediatamente”.

“Parece que a colônia estava preparada com antecedência para sua chegada. O chefe do Serviço Penitenciário Federal, Arkady Gostev, esteve lá em abril e talvez tenha sido então que decidiram transferir Alexei para lá”, acrescentou.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Miliciano Zinho é transferido para penitenciária de segurança máxima no Rio de Janeiro
Nasa divulga imagem de “Árvore de Natal” de estrelas
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play