Domingo, 05 de dezembro de 2021

loader

Projeto na Câmara Municipal de Porto Alegre institui campanha para enfrentar violência sexual contra mulheres

Tramita na Câmara Municipal de Porto Alegre o projeto de lei 146/21 que institui a Campanha Permanente de Conscientização e Enfrentamento do Assédio e da Violência Sexual contra Mulheres no Município de Porto Alegre. A iniciativa é de autoria das vereadoras Bruna Rodrigues (PCdoB), Daiana Santos (PCdoB), Laura Sito (PT) e Karen Santos (PSOL) e do vereador Matheus Gomes (PSOL).

Os objetivos da iniciativa são o enfrentamento do assédio e da violência sexual nos equipamentos, nos espaços públicos e nos veículos de transporte coletivo no município; a divulgação de informações sobre o assédio e a violência sexual contra mulheres; a disponibilização dos telefones de órgãos públicos responsáveis pelo acolhimento e pelo atendimento a mulheres; e o incentivo à realização de denúncias sobre as condutas tipificadas na futura lei.

Quanto às ações, visa realizar atividades educativas e não discriminatórias de enfrentamento do assédio e da violência sexual contra mulheres; e, também, empoderar a mulher para que venha a denunciar casos de assédio ou de violência sexual. O Executivo poderá, ainda, produzir cartilhas educativas sobre o assédio e a violência sexual contra mulheres no âmbito do serviço público, prioritariamente no que se refere ao assédio moral e sexual no ambiente de trabalho e no transporte público.

Justificativa

Na justificativa do projeto, os parlamentares destacam que todos os dias mulheres são violentadas em seu cotidiano e a desigualdade estrutural a que estão submetidas reforça a banalização de condutas que violam e limitam o exercício de seus direitos.

“O cotidiano de assédio e abusos praticados contra mulheres é de responsabilidade do município, como agente garantidor dos direitos fundamentais dessa população. O projeto visa a discutir a violência contra as mulheres nos espaços públicos. Pesquisa realizada, no ano de 2016, pela organização não governamental Action Aid demonstra a necessidade de debate sobre isso: 86% das mulheres brasileiras ouvidas sofreram assédio em público em suas cidades. Os dados foram divulgados no lançamento do Dia Internacional de Cidades Seguras para as Mulheres, uma iniciativa da organização para chamar a atenção para os problemas de assédio e violência enfrentados pelas mulheres nas cidades de todo o mundo”, ressaltam.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Porto Alegre

Corpo de mulher é localizado em margens de rodovia em Pelotas
Fãs visitam túmulo de Marília Mendonça um dia após enterro
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play