Sábado, 13 de abril de 2024

“Rim é mais tranquilo”, diz Faustão após novo transplante

O apresentador Fausto Silva, o Faustão, falou pela primeira vez após o transplante de rim, realizado na segunda-feira (26), em São Paulo, e comparou o procedimento com o transplante de coração, que realizou há seis meses. Segundo Faustão, ele deve receber alta em breve.

“Mais uma semana e estou em casa, liberado. Para quem fez um transplante do coração, o de rim é mais tranquilo”, afirmou ao colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

Aos 73 anos, Faustão era o 13º na lista para o procedimento, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Conforme nota enviada ao jornal Folha de S. Paulo, ele foi incluído na fila de transplante renal no dia 6 de fevereiro e cumpria os requisitos de prioridade para a cirurgia.

“A Central de Transplantes do Estado de São Paulo informa que o paciente F.S. foi inserido na fila para transplante em 6 de fevereiro e, seguindo resoluções estaduais, foi submetido ao transplante de rim na última segunda-feira, 26, cumprindo os critérios de priorização. F.S. encontrava-se como 13º na lista para o procedimento”, informa a Secretaria de Saúde.

“De acordo com a Resolução Estadual SS 06 de 2019, são critérios de priorização: a) impossibilidade total de acesso para diálise, b) pós-transplante de outro órgão, c) pós-doação renal. Já os critérios de classificação de receptores potenciais para fins de transplante de rim são: compatibilidade HLA (genética), compatibilidade ABO (sanguínea), priorização e idade do doador”, explicou o órgão.

Atualmente, no total, 42.133 pessoas esperam por um transplante de órgão no Brasil. Para receber um rim, são 38.927. São Paulo é o Estado com mais pacientes na fila. Os dados são do Ministério da Saúde e foram atualizados em 27 de fevereiro.

Faustão passou pelo transplante de rim em decorrência ao agravamento “de uma doença renal crônica”. A cirurgia aconteceu sem intercorrências e ele está internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, para acompanhamento da adaptação do órgão e controle clínico.

Em 27 de agosto do ano passado, o apresentador recebeu um novo coração após ficar 21 dias internado. Ele entrou como prioridade na fila de transplante por causa da gravidade do seu caso.

Atualmente, mais de 42 mil pessoas no Brasil aguardam por um órgão para transplante. Dessas, mais de 38 mil aguardam um transplante de rim. De janeiro a setembro de 2023,  por exemplo, o rim foi o órgão mais transplantado, sendo responsável por 66,72% dos procedimentos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Lula chama Bolsonaro de “covarde” e ironiza pedido de “anistia”
Elenco gremista treina focado na última rodada da primeira fase do Campeonato Gaúcho
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play