Sábado, 13 de abril de 2024

Rússia acusa Ucrânia de atacar hospital e matar 14 pessoas

A Rússia acusou militares ucranianos de atacarem deliberadamente um hospital em uma área controlada por Moscou no leste da Ucrânia neste sábado (28). O ataque foi considerado pela Rússia como um crime de guerra que matou 14 pessoas e feriu 24 pacientes e equipe médica.

O suposto ataque atingiu um hospital no assentamento russo de Novoaidar e foi realizado usando um sistema de lançamento de foguetes HIMARS fornecido pelos Estados Unidos, disse o Ministério da Defesa russo em um comunicado.

“Um ataque de mísseis deliberado contra uma instalação médica civil em funcionamento é, sem dúvida, um grave crime de guerra do regime de Kiev”, afirmou o Ministério da Defesa russo.

A Ucrânia e seus aliados ocidentais frequentemente acusam as forças russas de diversos crimes de guerra no conflito. Milhares de civis foram mortos e cidades e vilas foram destruídas por artilharia e ataques aéreos russos. A Ucrânia não assumiu a autoria deste ataque.

Hospital atacado

Três pessoas foram mortas por ataques russos na cidade de Kherson, no sul da Ucrânia, neste domingo, que danificaram um hospital e uma escola, disse a administração regional.

“O bombardeio russo de hoje feriu nove pessoas: três pessoas morreram (dois homens e uma mulher), seis ficaram feridas”, escreveu o governo ucraniano no aplicativo Telegram.
“Como resultado do bombardeio inimigo, vários prédios de infraestrutura civil foram danificados: o Hospital Clínico Regional de Kherson, uma escola, um terminal de ônibus, um correio, um banco e edifícios residenciais.”

Kherson foi ocupada por tropas russas desde os primeiros dias da invasão da Ucrânia por Moscou em fevereiro do ano passado até a recaptura pelas forças ucranianas em novembro.

Desde sua libertação, a cidade tem sido regularmente bombardeada de posições russas do outro lado do rio Dnipro, que passa pela cidade.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Aluna morta no Piauí foi violentada e teve pescoço quebrado, diz polícia
Clima é de revolta contra deputado brasileiro eleito nos Estados Unidos
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play