Domingo, 25 de fevereiro de 2024

A França adverte o Irã por causa do fornecimento de drones militares à Rússia

O presidente francês Emmanuel Macron alertou o seu colega iraniano Ebrahim Raisi sobre as consequências do fornecimento de drones à Rússia. Por meio de telefonema a Teerã, ele pediu que o governo do país árabe “pare imediatamente” com o apoio que está oferecendo a Moscou na guerra contra a Ucrânia.

De acordo com um informe divulgado neste domingo pelo gabinete do chefe do Executivo em Paris, Macron também manifestou preocupação com os rumos do programa nuclear do Irã.

O fornecimento desses drones para a Rússia não é alvo de condenação apenas por parre da França ou da própria Ucrânia. Na lista de críticos ferrenhos estão os governos do Reino Unido, Alemanha e, do outro lado do Oceano Atlântico, os Estados Unidos.

Seus líderes consideram que a ajuda desrespeita uma resolução emitida pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015. Essa norma limita para que o Irã desistisse de seu programa destinado à produção de armas nucleares.

Estados Unidos

No final da semana passada, a Casa Branca emitiu comunicado lamentando que a Rússia esteja aparentemente aprofundando a sua cooperação com o Irã na área de militar. Também mencionou o envio de centenas de equipamentos desse tipo, que estariam sendo utilizados por Moscou na modalidade de ataque unidirecional contra a Ucrânia.

Citando informações recentemente desclassificadas, o governo norte-americano relatou que os drones, do tipo Uncrewed Aerial Vehicle (UAV), foram construídos no Irã e enviados pelo Mar Cáspio. Assim se manifestou o porta-voz John Kirby:

“A Rússia tem usado UAVs iranianos nas últimas semanas para atacar Kiev e aterrorizar a população ucraniana. A parceria militar Rússia-Irã parece estar se aprofundando. Também estamos preocupados com o fato de a Rússia estar trabalhando com o Irã para produzir UAVs iranianos dentro da Rússia, a partir do ano que vem”.

“Estamos divulgando imagens de satélite da localização planejada desta fábrica de UAV na Zona Econômica Especial de Alabuga, na Rússia”, disse ele.

Admissão

Os Estados Unidos já haviam sancionado executivos iranianos em um fabricante de defesa por causa do fornecimento de drones para a Rússia. O Irã reconheceu o envio de drones para a Rússia, mas disse que eles foram enviados antes da invasão russa, em fevereiro de 2022.

Moscou nega que suas forças tenham usado drones iranianos na Ucrânia. Mas esta última, juntamente com potências ocidentais, argumentam que a resolução da ONU inclui restrições a mísseis e tecnologias relacionadas até outubro de 2023 e pode abranger a exportação e compra de sistemas militares avançados, como drones.

As missões iraniana e russa nas Nações Unidas não responderam imediatamente a um pedido de comentário sobre as acusações norte-americanas: “Continuaremos a impor sanções aos atores envolvidos na transferência de equipamento militar iraniano para a Rússia para uso na Ucrânia”, disse Kirby.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

O planeta não para de emitir sinais das mudanças climáticas: verões tórridos, invernos glaciais, tempestades intensas e cada vez mais eventos climáticos extremos
Ronaldinho Gaúcho, Kaká, Alex e outros ídolos brasileiros do futebol marcaram presença na final da Champions
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play