Terça-feira, 18 de junho de 2024

Diabetes: novo estudo associa vitamina K com forte redução de risco da doença. Saiba os alimentos ricos no composto

Um estudo canadense identificou um novo papel para a vitamina K e gama-carboxilação nas células beta e seu papel para reduzir a diabetes tipo 2. A descoberta, feita por cientistas da Universidade de Montréal e o Instituto de Pesquisa Clínica de Montréal, e publicada na revista científica Cell Reports, explica como a vitamina K ajuda a prevenir o diabetes e pode levar a novas aplicações terapêuticas para o diabetes tipo 2.

A vitamina K é um micronutriente conhecido por seu papel na coagulação do sangue, em particular na gama-carboxilação, uma reação enzimática essencial para o processo. Suspeita-se há vários anos que essa vitamina e, portanto, a gama-carboxilação, também podem ter outras funções.

Em seu estudo, o professor pesquisador associado de medicina, Mathieu Ferron, e sua equipe, foram os primeiros a determinar que as enzimas envolvidas na gama-carboxilação e, portanto, no uso da vitamina K, estavam presentes em grandes quantidades nas células beta pancreáticas, as mesmas células que produzem a preciosa insulina que controla os níveis de açúcar no sangue.

“Sabe-se que o diabetes é causado por uma redução no número de células beta ou por sua incapacidade de produzir insulina suficiente, daí nosso grande interesse nessa nova descoberta. Para elucidar o mecanismo celular pelo qual a vitamina K mantém a função das células beta, foi essencial determinar qual proteína foi alvo da gama-carboxilação nessas células”, afirma Ferron.

A diabetes é uma doença que afeta uma em cada 11 pessoas em todo o mundo e não tem cura. O Brasil é o 5º país em incidência de diabetes no mundo, com 16,8 milhões de doentes adultos (20 a 79 anos), perdendo apenas para China, Índia, Estados Unidos e Paquistão. A estimativa da incidência da doença em 2030 chega a 21,5 milhões.

Alimentos ricos em vitamina K

Conhecidas por seu papel na coagulação do sangue, as vitaminas do complexo K também melhoram a oxigenação dos tecidos e ajudam a prevenir doenças cardíacas e osteoporose.

A vitamina K1, que é a mais conhecida, é a principal responsável pela coagulação do sangue. Ela é encontrada majoritariamente nas folhas verdes-escuras, como espinafre, brócolis, agrião e alface, ou em menores quantidades, porém ainda significativas, como: nozes, castanhas e algumas frutas como uva escura, figo, amora, morango e maça.

Já a K2 age diretamente na mitocôndria, aumentando a oxigenação do sangue e dos tecidos e gerando benefícios que incluem a melhora do rendimento esportivo e a prevenção de doenças como a osteoporose.

São encontradas em fibras, prebióticos e probióticos, como a soja fermentada, encontrada em alimentos de origem asiática como o tofu e o shoyu. Queijos fermentados, desde o branco, que são mais leves, como ricota ou cottage, até os mais amarelos e pesados, como os da Serra da Canastra, que são produzidos a partir do leite cru, incluindo opções de queijo vegetal, também são ricos em K2.

Iogurtes que contam com a presença de lactobacilos vivos também são fontes de probióticos para a produção da vitamina K2, bem como a gema do ovo e carnes, especialmente o fígado do boi. Este órgão concentra as maiores quantidades da vitamina K2 e também possui teor gorduroso para garantir o melhor aproveitamento dela.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Luana Piovani critica juíza em Portugal que conduziu conciliação com Pedro Scooby e relembra confronto
Creatina: suplemento febre nas academias pode fazer mal? Entenda
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play