Quarta-feira, 29 de junho de 2022

loader

Ministério da Saúde anuncia que idosos a partir de 60 anos vão receber dose de reforço contra o coronavírus

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (28), que idosos acima de 60 anos vão receber a dose de reforço da vacina contra a covid-19. A informação foi confirmada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em um vídeo gravado no hotel em Nova York onde ele cumpre quarentena após testar positivo para a doença.

De acordo com a pasta, cerca de 7 milhões de pessoas serão vacinadas nesta nova etapa da campanha de reforço. A vacina prioritária para a dose de reforço é a da Pfizer, mas também pode ser utilizadas os imunizantes da AstraZeneca e a Janssen. A data exata do início da vacinação não foi divulgada pelo ministro. A aplicação nos idosos seguirá ordem cronológica, do mais velho para o novo.

Com isso, idosos acima de 60 anos que tiverem tomado a segunda dose há mais de seis meses já poderão receber o reforço. Desde o dia 15 de setembro, apenas idosos acima de 70 anos e imunossuprimidos (pessoas cujo sistema imunológico está comprometido por alguma condição de saúde) estavam aptos a tomar a dose de reforço. A ampliação para os profissionais de saúde ocorreu no dia 24.

“Graças à estratégia diversificada que o governo federal, por meio do Ministério da Saúde, adotou para aquisição de vacinas é possível hoje, no final do mês de setembro, ofertar para os idosos uma dose de reforço da vacina”, afirmou Queiroga. “Além dos idosos com mais de 70 anos e dos profissionais de saúde, que foram anunciados como contemplados, agora o Ministério da Saúde vai atender os idosos com mais de 60 anos. São cerca de 7 milhões de brasileiros nesta condição”, completou.

A Câmara Técnica Assessora de Imunização Covid-19 (Cetai), que auxilia o ministério, recomenda a dose de reforço a partir de estudos que mostram a queda na proteção oferecida pelos imunizantes após seis meses da segunda dose. Isso não significa que as vacinas sejam ineficazes contra o vírus, mas que a injeção extra pode ampliar a segurança desses grupos mais vulneráveis. Países como Estados Unidos, Israel e Chile também adotaram a estratégia semelhante.

Vacinação

Mais de 88 milhões de brasileiros já tomaram a dose complementar ou a dose única de vacinas contra a covid e estão imunizados. O número exato, 88.963.912, corresponde a 41,70% da população do País.

Os que tomaram a dose inicial e somam 145.528.074 pessoas (68,22%). O reforço foi aplicado em 750.330 (0,35%).

Desde o início da campanha de vacinação no País, em janeiro deste ano, 235.242.316 doses já foram administradas. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa divulgados nessa terça.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

A farmacêutica Pfizer pede para que Anvisa inclua terceira dose na bula de vacina contra a covid-19
Japão confirma fim do estado de emergência contra o coronavírus
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play